ml
0
0
0
0
0

Alguns indivíduos sentem uma espécie de dolorimento e rigidez generalizada e persistente em todo o corpo, incluindo a coluna vertebral. As estimativas mais recentes mostram que num grupo de  100 pessoas, entre 2 e 5 apresentam essa queixa e terão diagnóstico de fibromialgia, uma síndrome dolorosa crônica que prefere as mulheres (cerca de 90% dos casos) com idade entre 30 e 60 anos, mas que também acomete homens e crianças, cuja prevalência aumenta com o envelhecimento.

Contudo, a dor generalizada não é o único sintoma da enfermidade. Há outros que podem ocorrer ao mesmo tempo ou durante a convivência com a doença: enxaqueca, tensão pré-menstrual, bruxismo, alterações de humor (irritação, ansiedade e ou depressão), formigamentos em braços e pernas e, principalmente, um sono que não restaura as energias e um cansaço permanente, ou seja, fadiga inexplicável, e alterações cognitivas com prejuízo da memoria.

Uma característica da pessoa com fibromialgia é a grande sensibilidade ao toque e à compressão de pontos no seu corpo. Não existe ainda uma causa definida, mas há algumas pistas de porque as pessoas têm fibromialgia.  Seria como se o cérebro de seus portadores  interpretasse de forma exagerada e amplificada os estímulos, ativando todo o sistema nervoso para fazer a pessoa sentir mais dor, ou seja relacionada a modulação da dor.

Para o seu diagnóstico é fundamental  uma boa conversa  e uma relação medico-paciente  transparente,  onde o medico acredita nas queixas e o paciente sente que  suas queixas foram valorizadas, visto que não existem exames de sangue e imagem que confirmem o seu diagnóstico.

Existem várias maneiras de tratar a fibromialgia. Os exercícios aeróbicos orientados e aplicados progressivamente  tem grande importância, conforme trabalhos apresentado no congresso anual da  Sociedade Americana de Dor em maio de 2015. Os exercícios ativam  os centros cerebrais associados com a modulação de dor, e podem ser um tratamento eficaz, dizem os pesquisadores.

O estudo concluiu ainda que o exercício é o melhor analgésico e antidepressivo,  jamais desenvolvido. Porem, os pacientes  com fibromialgia devem ser conscientizados  na  persistência  a longo prazo e indeterminado ,  principalmente  fases iniciais,  quando pode ainda apresentar dor, que ao longo do tempo deverá  amenizar ou desaparecer.

Procure o reumatologista para orientar o seu tratamento.

Leia mais: Fibromialgia

0
0
0
0
0

A importancia da realização da colonoscopia em pacientes assintomaticos com espondilite anquilosante

colonoscopia em pacientes assintomaticos com espondilite anquilosanteÉ uma doença inflamatória crônica que afeta principalmente a coluna vertebral e articulações sacroilíacas, mas que também pode atingir articulações periféricas (ombros e joelhos, entre outras). Ela não possui cura, mas com tratamento precoce, pode ser controlada. Em estágios mais avançados, a espondilite anquilosante pode atingir todos os segmentos vertebrais, causando limitação dos movimentos e invalidez. Este processo é devido a lesão das articulações sinoviais e dos ligamentos adjacentes às vértebras, especialmente nos pontos de inserção.

Foi realizado um estudo com 22 pacientes portadores de espondilite anquilosante para avaliar as alterações colonoscópicas intestinais macroscópicas e achados histopatológicos microscópicos. Esses pacientes passaram por uma avaliação clinica minuciosa utilizando os critérios atuais para o seu diagnóstico e coleta de sangue para determinação do antígeno HLA-B27, (marcador sorológico da doença), e colonoscopia em que foi realizado a biópsia de quarto segmentos intestinais (íleo terminal, cólon direito, cólon sigmoide e reto),

Os resultados colonoscópicos anormais foram obtidos em 13 (59,1%) dos 22 pacientes estudados. e a principal anormalidade foi a presença de pólipos intestinais a visualização direta. Com é sabido pólipos intestinais se transformar em câncer, quando não retirados. Dos resultados histopatológicos, 81% tiveram uma biópsia anormal do íleo terminal, 90,9% tiveram uma biópsia anormal do cólon sigmoide, e a biópsia retal estava anormal em 86.4%.

Em conclusão, esses achados revelaram lesões inflamatórias em pacientes com resultados colonoscópicos visualização direta normais e anormais, independentemente da sintomatologia intestinal e do tratamento usado para a doença.

Converse com o seu reumatologista, pois, pacientes com espondilite anquilosante podem apresentar-se com lesões inflamatórias intestinais, e, por isso, deve ser definido o uso da colonoscopia para o estudo desses pacientes.

0
0
0
0
0

O Clima pode contribuir no agravamento da dor na coluna lombar?
Mito ou Realidade?

O Clima pode contribuir no agravamento da dor na coluna lombar?Muito pacientes acreditam que o clima tem influencia sobre a sua dor das costas.

Segundo estimativas da Organização Mundial de Saúde, mais de um terço da população mundial em algum momento da vida terá um episodio de dor lombar, fazendo com que esta entidade seja a principal queixa do sistema musculo-esqueletico.

A fim de comprovar, Mito ou Realidade, foi realizado estudos na Universidade de Sidney – Australia que envolveu 993 pacientes com episodios subitos de dor lombar no periodo de outubro de 2011 a novembro de 2012, cujas conclusões foram publicadas na Revista Arthritis Care Res. em 10 de julho de 2014, as quais demistificaram a influencia do clima na dor lombar.

Não houve associação de fatores climáticos como temperatura, umidade relativa do ar, pressão atmosférica, chuva, velocidade e rajada de vento na dor lombar na dor lombar, ao contrario do que se acreditava.

Os autores concluiram que parametros climativos não interferem no risco de desencadeamento ou piora do quadro de dor lombar. Portanto, tra-se de um Mito.

Entre os principais fatores de risco relacionados a dor lombar: temos tabagismo, obesidade, sedentarismo e desconhecimento dos cuidados e regras de postura, alem dos fatores emocionais.

Ao primeiro sinal de dor lombar, caso não melhore com analgésicos, procure o reumatologista, clinico do aparelho locomotor.

Leia mais: Dor na Coluna Lombar: A Importancia do Diagnóstico

 

0
0
0
0
0

Em relação aos analgésicos não narcóticos, uma das atitudes mais comuns para aliviar a dor nas costas ou dores em geral é tomar um analgésico. Mas é preciso ter cuidado, visto que os mesmos estão disponíveis sem receita medica. Sempre procure um médico para que ele indique o remédio adequado para o seu caso. Afinal, cada indivíduo tem particularidades. Os analgésicos mais comuns utilizados são os analgésicos não narcóticos que podem ser obtidos em qualquer prateleira. Entre eles o mais comum e o acido acetilsalicílico.

Leia mais: Analgésicos e Anti-inflamatórios

 

 

0
0
0
0
0

Os Pes e a Dor da Coluna Lombar:
Uma causa pouco investigada

A dor da coluna lombar é a segunda causa de queixa dolorosa em qualquer consultório medico. Existe mais de 60 causas diferentes de dor, desde uma simples torção, hérnia de disco até infecções ou manifestações do câncer.

Estudos têm demonstrado que mulheres que tem pés planos apresentam 50% mais chance de terem dor lombar. Portanto, os pés também são importante fator de risco para o desencadeamento e manutenção de dor nas costas.

Estas conclusões foram baseadas em um estudo dos arcos dos pés com 1.930 homens e mulheres recrutados em Framingham, Massachusetts e publicado na revista Rheumatology. A dor lombar teve maior incidência em nas mulheres e, na faixa de 60 anos, 38% das mesmas relataram dor.

Os autores fizeram sugestões para explicar esse achado. Por exemplo, os ossos pélvicos das mulheres são mais largos e não tão flexíveis quanto a dos homens e, em geral as mulheres constumam girar os quadris mais do que os homens durante a caminhada e ainda, também movimentam a porção superior de seus corpos mais do que os homens, quando caminham.

Logo, entre as várias causas de dor da coluna lombar os pés devem ser obrigatoriamente examinados e, quando necessário fazer exercícios para fortalecer a sua musculatura e indicação de palmilhas.

 

Leia mais: Dor na Coluna Lombar: A Importancia do Diagnóstico
 
 

0
0
0
0
0

A dor da coluna lombar:
Porque voce toma remedio faz fisioterapia e a dor continua?

A dor da coluna lombar é a segunda causa de queixa dolorosa em qualquer consultório medico.

A dor da coluna lombar: remédios de fisioterapia

A dor da coluna

Existem mais de 60 causas diferentes de dor, desde uma simples torção, hérnia de disco até infecções ou manifestações do câncer. Você já deve ter observado que tem sido rotineiro que alguns profissionais da saúde solicitam exames de imagem, muitas vezes sem ouvir as suas queixas e, muitas vezes você não é examinado conforme recomenda o ato médico, regulamentado pelo CFM.

Com base nesses exames você recebe orientações de tratamento que podem ser medicamentosa ou fisioterápica. Infelizmente, muitos dos sofredores ficam frustrados visto que o resultado após um período de tratamento, não é o esperado visto que os achados podem não corresponder a realidade do quadro clinico.

Porque que razão isto acontece?

Existem várias e que dependem apenas de você ser parte ativa e realizar as orientações do médico especialista em doenças da coluna vertebral. Como qualquer equipamento, a coluna tem suas regras que regem o seu funcionamento. A coluna vertebral é muito sensível a falta de obediência das regras de postura em seu cotidiano, como carregar e dar banho no filho, escovar os dentes o que deve ser automatizado.

As pessoas confundem a técnica do RPG com regra, o que é um erro, visto que se trata de uma técnica de alongamento. O controle do sobrepeso e essencial, pois, aumenta o risco de dor. Imagine um fusca levando o peso de uma Kombi. O tabagismo praga da humanidade lesa a nutrição dos discos intervertebrais. É fundamental a realização de exercícios físicos orientados com regularidade pelas várias técnicas. Não adianta fazer uma serie de 10 ou 20 exercícios ou outras modalidades e suspender.

No mundo moderno os fatores emocionais como o estresse ou aborrecimentos estão presentes e podem desencadear ou manter ou agravar as dores de coluna independente de suas lesões. Os mesmos devem ser identificados e o paciente deverá ser orientado e tratado muitas vezes com o auxilio de um psicólogo.

Não se esqueça que a medida que você envelhece as estruturas da coluna podem sofrer as conseqüências não previsíveis.

Em conclusão, apenas remédios e modalidades de fisioterapia podem ser insuficientes, e explicam o porque da não melhora da dor, caso as recomendações acima descritas não forem atendidas, o que depende tão somente de você após orientação médica.

0
0
0
0
0

A Coluna Cervical: Abuso das indicações cirurgicas

A coluna cervical é o elo flexível entre a cabeça e o tronco. As suas principais funções são proteger as estruturas do sistema nervoso e vascular presentes na região, dar sustentação ao crânio e garantir o movimento. Ela cumpre essas tarefas graças a um bem elaborado equilíbrio entre a sua força e a flexibilidade. As disfunções que eventualmente abalam esse equilíbrio promovem a dor.

A dor coluna cervical ou cervicalgia é uma manifestação clínica caracterizada por dor e rigidez transitória na região cervical de causas diversas em que destaca-se a disfunção da articulação temporo-mandibular ( bruxismo) e a tensão emocional . Ela acomete 55% da população adulta em alguma fase da vida, com maior incidência no sexo feminino. Os sintomas ocorrem devido ao espasmo muscular e/ou tração de raízes nervosas. Em 1% dos casos os nervos oriundos da coluna são comprimidos prejudicando ou não a sua função (perda de força ou alterações de sensibilidade). É a denominada braquialgia ou cervicobraquialgia.

Na grande maioria dos casos o seu tratamento inicial é conservador, ou seja, não cirúrgico. Entre as varias modalidades temos os medicamentos, os coletes e a fisioterapia que são indicados mediante uma avaliação criteriosa clinica que inclui exames de imagem e muitas vezes a eletromiografia.

Este paciente deve ser acompanhado criteriosamente por um período de seis a oito semanas de tratamento e, caso não houver nenhuma melhoria com estas medidas conservadoras, pode se pensar na indicação cirúrgica.

Apenas um em cada mil pacientes nessa situação necessita de cirurgia.

As indicações propostas para a cirurgia em pacientes com radiculopatia cervical são incessante dor radicular, apesar de seis a oito semanas de tratamento conservador, fraqueza motora progressiva, ou a presença de mielopatia.

A indicação cirúrgica requer a presença de todos os seguintes critérios:

  • Sinais e sintomas de radiculopatia cervical, ou seja, dor, o comprometimento da função da raiz nervosa ou ambos;
  • Correlação entre o nível de compressão da raiz nervosa por ressonância magnética e os sinais e sintomas clínicos e neurológicos;
  • Persistência da dor radicular, apesar da terapêutica não-cirúrgica em pelo menos seis a doze semanas ou fraqueza motora progressiva, que compromete a função da mesma.

A cirurgia deve apenas ser indicada para os pacientes que atendem a esses critérios rigorosos para radiculopatia cervical. A considerar que o reumatologista e neurologista tratam doentes e não imagens, ou seja, a clinica dever ser soberana e sempre prevalecer no raciocínio medico.

Hemangiomas na coluna

0
0
0
0
0

Hemangiomas na coluna: tumores benignos da coluna vertebral

Os hemangiomas na coluna vertebrais estão entre os tumores benignos mais comuns, encontrados na coluna vertebral, tendo maior freqüência sobretudo na coluna vertebral torácica.

Hemangiomas na coluna

Coluna Vertabral

A grande maioria destes são encontrados casualmente em exames de imagem, particularmente a ressonância magnética e são assintomáticos. Entretanto, em alguns poucos casos podem provocar sintomas, causando déficit neurológico devido a compressão da medula espinal.

Para explicar esta compressão, foram identificados quatro mecanismos, sendo que qualquer um deles podem ser responsáveis:

  1. extensão para o interior do espaço epidural;
  2. ampliação da vértebra envolvida reduzindo o diâmetro do canal vertebral;
  3. hemorragia espontânea para o interior do espaço epidural;
  4. fratura do corpo vertebral explosão patológica.

Os hemangiomas torácicos foram relatados serem mais propensos a produzir compressão da medula espinhal que os hemangiomas lombares.

Caso você tenha uma dor aguda da coluna com manifestações neurológicas procure rapidamente o seu reumatologista.

Leia mais: Doenças da Coluna

 

 

0
0
0
0
0

Obesidade e sobrepeso: estão entre as principais causas de degeneração do disco vertebral e dor da coluna lombar.

Obesidade e Sobrepeso: Dor da Coluna LombarA Organização Mundial da Saúde (OMS) relata que a obesidade é um dos principais fatores de risco evitáveis para uma série de doenças, o que inclui as doenças da coluna vertebral, particularmente a dor na coluna lombar.

Desde 1980, ela mais que duplicou e, em 2008, cerca de 1,5 bilhão de pessoas com 20 anos ou mais, estavam acima do peso ideal, sendo consideradas obesas mais de 200 milhões de homens e cerca de 300 milhões de mulheres. Nos Estados Unidos da América, estudos estimam que uma em cada três crianças são obesas ou apresentam excesso de peso, o que pode levar a um quadro de obesidade mais grave na idade adulta, caso não haja correção.

Um dos maiores estudos publicado em revista medica internacional de alta credibilidade cientifica incluiu 2.599 participantes com idades acima de 21 anos a idosos, entre 2001 e 2009 de padrão socioeconômico variável. Eles foram selecionados independentemente de terem tido dor lombar ou não. O estudo incluiu 1.040 homens e 1.559 mulheres que tinham uma idade média de 42 anos. Foram realizadas avaliações clínicas, radiográficas e exames de ressonância magnética da coluna lombar com o objetivo investigar a degeneração dos discos da coluna lombar.

A analise dos resultados revelou que adultos que estão com sobrepeso ou obesos eram significativamente mais propensos a ter degeneração do disco, do que aqueles com um índice de massa corporal (IMC) normal. As imagens de ressonância magnética mostraram que aqueles pacientes com o IMC elevado apresentaram um aumento do número maior dos níveis de discos degenerados com maior gravidade da degeneração incluindo a redução do espaço entre os discos intervertebrais. Além disso, outros estudos já ligaram o IMC aumentado a lombalgia, que é uma doença frequentemente debilitante, que pode limitar a capacidade laborativa, exercer impacto psicológico prejudicial, afetando o bem-estar e diminuindo a sua qualidade de vida. Ainda associada com maiores custos financeiros para o individuo, família, fontes pagadoras e comunidade. Os especialistas sugerem que a degeneração do disco.

Este estudo confirma que com o IMC elevado há um aumento significativo da extensão e gravidade global, da degeneração do disco. Na verdade, a degeneração do disco da fase final, com estreitamento do espaço do disco foi mais pronunciada em indivíduos obesos. Desde que o sobrepeso e a obesidade são preocupações em todo o mundo, cuja prevalência continua a aumentar, os resultados desse estudo têm importantes implicações na saúde pública. Se estas questões continuam a atormentar a sociedade, que pode afetar ainda mais a saúde da coluna levando à dor lombar e suas consequências.

Em conclusão, a degeneração do disco é uma das principais causas de dor da coluna lombar. É um processo complexo que envolve mudanças estruturais e químicas, em que a obesidade e o sobrepeso têm um papel fundamental e fazem parte dos fatores de risco de desenvolver dor de coluna. Entretanto, deve servir de alerta para motivar o paciente a perder peso. Procure o reumatologista, clinico do aparelho locomotor para orientação dos problemas da coluna, o que inclui ainda a correção postural e a realização de exercícios orientados. Raramente este processo implica em conduta cirúrgica.

 

Leia mais: Dor na Coluna Lombar: A Importancia do Diagnóstico

 

0
0
0
0
0

Subir morros ou ladeiras pode desencadear problemas na coluna? Sim!

Existe de fato uma relação entre subir ladeiras ou escalar morros e a possibilidade de ter distúrbios da coluna.

Deve-se evitar fazer o esforço levando pacotes ou sacolas, para não aumentar a sobrecarga.

Leia mais: Coluna

Leia mais: Dor Lombar Archives

Leia mais: A importância de uma boa postura